Grupos de caronas provam que viajar com estranhos pode ser um bom negócio

Vamos simular uma situação, você tem um carro e faz a trajetória Campo Grande – Dourados todas as semanas. Você viaja sozinho. Há três lugares vazios no carro. A gasolina é cara e tem gente que toparia colaborar com a viagem só para que você a deixe no lugar combinado. Isso é possível com os grupos de carona.
Descobri o caronas MS em 2013, quando uma amiga fazia a rota Campo Grande – Costa Rica, no norte do estado, pelo menos, duas vezes por mês. Na época, ônibus para lá saia uma vez por dia e durava uma eternidade: parava em todas as bibocas e porteiras arrebanhando passageiros. O preço custava uma fortuna (e ainda custa R$ 100) e a viagem durava mais tempo que a vida de muitos insetos (+ 5h).
dsc_7990
Ela encontrou pessoas que dividiam seus carros, combinavam horários e acertavam o preço de colaboração de cada passgeiro e, como era um trajeto fixo, eles meio que já tinham um subgrupo de viajantes para essa rota. Achei genial e não entendia como isso ia funcionar na prática.
O trajeto Costa Rica – Campo Grande, por exemplo, costuma custar R$ 50 por pessoa em um carro. Metade do preço da passagem de ônibus, mais rápido, a pessoa te deixa em casa (se estiver sido combinado) e dá para ir papeando durante o trajeto.
É imporante combinar tudo, inclusive se precisa dividir o volante – o que é recomendável em trajetos muito longos.

As regras de boa convivência permanecem as mesmas de uma viagem de ônibus – nada de fumar, beber ou sujar o carro da pessoa que está gentilmente cedendo uma vaga e boa companhia. Outra dica que fica é, combine o valor da ajuda de custo e procure ter uma bagagem pequena. 😉

Viajar com estranhos? É seguro?

Primeiro, o grupo do MS é composto por pessoas basicamente do estado. O que significa que, de um jeito ou de outro, as chances de você e seu passageiro tenham amigos em comum no facebook, então você dá aquela estalquiada báaasica no perfil do ser humano e vê se vai rolar. Em lugares mais populados imagino que seja meio difícil encontrar gente em comum como critério de avaliação, não sei como funciona. Aliás, se você tiver uma dica, coloca nos comentários como funciona pelas suas bandas o//
Mas se você já pega carona na estrada, bom, sabe já como funciona a camaragem, imagina quando as coisas são acertadas todas bonitinhas? Depois que, os municípios-chave têm seus grupos locais, o que facilita ainda mais conhecer o caroneiro. Eu já testei uma vez e foi tranquilo – rápido e barato, pela metade do tempo de viagem de ônibus e pela metade do preço também.
Se está querendo viajar, é um jeito bem mais conta (se não for de graça) de viajar. Das outras vezes, o mais difícil era combinar os dias e horários de saída/chegada, mas quem tem uma agenda mais flexível não vai encontrar dificuldades. Se for viajará pelo interior do MS super recomendo o grupo Caronas MS e os grupos municipais:

Related Post

Quem escreve 

Tradutora freelancer, assessora de imprensa e fã do ambiente digital. Viaja sozinha desde muito cedo e sempre quis saber onde cada trilha e estrada acabam.

Deixe uma resposta