Aproveite a conexão no JK para conhecer Brasília

Brasília parece ter saído de um filme sci-fi antigo, fica no meio do cerrado e meio longe de tudo, entretanto, se você tem mais de 6 horas de conexão na cidade, vale a pena dar uma volta e conhecer esta engenhoca arquitetônica e urbanística.

Andar a pé é possível, mas não é prático. Faltam calçadas e passarelas na esplanada dos ministérios e está evidente que a cidade foi construída para os veículos circularem livremente, não as pessoas. O aeroporto JK fica a 15 minutos de carro e, há ônibus que também saem de lá rumo aos ministérios e congresso nacional. Dá para deixar as malas no locker do aeroporto por R$ 30 e circular livremente, sempre com uma garrafa de água a tiracolo, pois o clima seco e quente não perdoa.  Se tiver poucas horas de conexão, evite sair nos horários de pico – entre 5pm e 7pm, pois mesmo estando próximo ao aeroporto, há riscos de perder o vôo devido ao trânsito.

Segue o tour:

Foto: Iuri Kothe

1)  catedral – gratuito

Praticamente tudo em Brasília envolve Lucio Costa e Oscar Niemayer, com a catedral não seria diferente. Os vitrais são maravilhosos e a acústica é divertida – faça aquele teste de conversar próximo às paredes. O som percorre os cantos e rende brincadeiras divertidas. É o tipo de lugar para ir uma vez na vida, pois fora os vitrais, bem, não resta muito. O espaço está bem deteriorado, mármore rachado e a igreja não tem aquela aura sacra, parece um museu. Explore os corredores até o batistério e o lugar de oração, os ambientes são cafonas e não retratam a beleza sacra. Não chega a ser um saudosismo da arte sacra, mas faltou essência mesmo na concepção fria deste prédio.

Não se engane com a rampa curva, a entrada não é por ali. Foto: Ivo

2) museu de arte nacional – gratuito

Ao lado da catedral, o museu conta com exposição permanente e algumas temporárias. Quando eu fui deixou bastante a desejar – entrada confusa, falta de placas e as exposições eram meio feiosas. Confesso que não sou fã da arte contemporânea. My bad.

O anexo com o prédio dos pratos no fundo. Foto: Eduardo Beltrame

3) congresso nacional – visita guiada gratuita

É curioso circular pelo lugar que toma as decisões do país inteiro. Todas as decisões importantes saem a canetadas daqueles escritórios. Talvez por conta da crise política, mas o prédio estava beeem destruído. A entrada para os pedestres se dá pelo estacionamento subterrâneo e não pela rampa. Carpetes encardidos, escadas e corrimões sujos e manchados, funcionários à toa e aos montes – conversando fiado e fofocando sem nenhum pudor. Ali pareceu uma amostra do Brasil, triste.

De legal – exposição do Dom Pedro II,  exposição de presentes diplomáticos, teto do plenário do senado e o guia super gente boa que nos acompanhou.

4) Centro Cultural Banco do Brasil

Na próxima vez que estiver com tempo em Brasília eu abro mão do tour só para visitar o centro. Isso aqui vale muito a pena! Se você é correntista, basta apresentar o cartão na entrada e ganhar descontos de 50% em espetáculos de dança, música e teatro. Existe um ônibus que percorre o plano piloto e que você pode pegar carona rumo à Fundação. Sério, deveria ter CCBB em todas as cidades do Brasil!

5) UnB

Esta universidade mora no meu coração. O prédio principal tem um conceito muito interessante: é um grande corredor que agrega vários cursos e salas multifuncionais. Oh vontade de estudar ali! Faltam árvores no entorno, mas o “Minhocão” é cheio de jardins de inverno e muita luz. Passeio recomendadíssimo!

 

Quem escreve 

Tradutora freelancer, assessora de imprensa e fã do ambiente digital. Viaja sozinha desde muito cedo e sempre quis saber onde cada trilha e estrada acabam.

Deixe uma resposta